Governo aprova último acto legislativo para autonomização da carreira de farmacêutico

por Teresa Mendes | 03.02.2020

Farmacêuticos podem agora ser contratados para os hospitais
O Governo aprovou em Conselho de Ministros (CM) o decreto-lei que define o regime jurídico da Residência Farmacêutica, «o último ato legislativo do processo de autonomização da carreira de farmacêutico», em falta há dois anos e que impedia a contratação de profissionais para os hospitais.

Ao definir a forma de ingresso e o percurso formativo e de desenvolvimento profissional, tendo em vista a especialização, fica então concluída a regulamentação da carreira farmacêutica no Serviço Nacional de Saúde, aprovada pelos Decreto-Lei n.os 108/2017 e 109/2017, salienta a Ordem dos Farmacêuticos (OF) numa nota à Imprensa.

«A posse do título de especialista na correspondente área de exercício profissional configura a condição para ingresso nas carreiras farmacêutica e especial farmacêutica, daí que a definição do regime jurídico do processo de obtenção deste título constitua uma das componentes essenciais para que possa assumir-se, de forma inequívoca, a autonomização da carreira», pode ler-se no comunicado do CM de 30 de janeiro.

Recorde-se que em dezembro passado, a OF apelou para uma «rápida intervenção» do primeiro-ministro e da ministra da Saúde na regulamentação da carreira farmacêutica».

O Governo aprovou em Conselho de Ministros o decreto-lei que define o regime jurídico da Residência Farmacêutica, «o último ato legislativo do processo de autonomização da carreira de farmacêutico», em falta há dois anos e que impedia a contratação de profissionais para os hospitais

A Resolução da OF aprovada na Assembleia-Geral de 18 de dezembro   manifestava a «enorme preocupação» pelos atrasos na regulamentação do acesso à carreira farmacêutica, que ultrapassou o prazo definido em mais de dois anos.

A OF lembrava que sem a regulamentação agora aprovada seria «impossível colmatar as graves carências de recursos humanos em muitos serviços farmacêuticos hospitalares do país».

20tm06a
03 de Fevereiro de 2020
2006Pub2f20tm06a

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 27.03.2020

 Ordens da saúde pedem ao primeiro-ministro reforço da proteção dos profiss...

As ordens dos Médicos, dos Farmacêuticos e dos Enfermeiros enviaram esta quarta-feira uma carta aber...

por Teresa Mendes | 27.03.2020

Conselho de Escolas Médicas Portuguesas defende realização maciça de testes

O Conselho de Escolas Médicas Portuguesas (CEMP) defende o uso generalizado de máscaras pela comunid...

por Teresa Mendes | 27.03.2020

ARSLVT abre 35 áreas dedicadas à Covid-19 nos cuidados saúde primários

Atendendo ao alargamento progressivo da expressão geográfica da pandemia Covid-19 em Portugal, e ten...

por Teresa Mendes | 27.03.2020

Apifarma cria linha de apoio financeiro para profissionais de saúde

A Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica (Apifarma), em articulação com a Ordem dos Médicos...

por Teresa Mendes | 26.03.2020

 Internos de MGF pedem «suspensão de todos os estágios e formações hospital...

Os internos de Medicina Geral e Familiar (MGF) pedem, em comunicado conjunto das associações e comis...

por Teresa Mendes | 26.03.2020

 «Há outras vidas a salvar», alerta Carlos Cortes

Devido ao foco na pandemia por Covid-19, os doentes oncológicos «estão a ficar para trás» e a ativid...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.