Doenças cardiovasculares: 68% dos portugueses têm dois ou mais fatores de risco

por Teresa Mendes | 04.02.2020

Mais de metade da população é obesa e 43% hipertensa, segundo estudo do Insa
Mais de metade dos portugueses são obesos ou pré-obesos e 43% são hipertensos, conclui um estudo do Instituto Nacional Dr. Ricardo Jorge (Insa), que teve com o objetivo de estabelecer a prevalência dos principais factores de risco de doenças cérebro-cardiovasculares na população portuguesa.

Os autores do estudo «e_COR», apresentado hoje num Seminário, em Lisboa, concluíram que «68% da população apresenta dois ou mais fatores de risco para doenças cardiovasculares e 22% quatro ou mais».

Os fatores de risco mais relevantes são a diabetes mellitus, colesterol elevado, hipertensão arterial, pré-obesidade/obesidade e tabagismo.

Em declarações à agência Lusa, Mafalda Bourbon, coordenadora do estudo, afirmou que os dados recolhidos surpreenderam, sobretudo porque «este trabalho analisou o conjunto de fatores de risco para um mesmo indivíduo» e não os fatores de forma isolada.

Os autores do estudo «e_COR» concluíram que «68% da população apresenta dois ou mais fatores de risco para doenças cardiovasculares e 22% quatro ou mais»

«Não tínhamos dados para pensar qual seria o valor que íamos obter. Quando percebemos que quase 70% têm dois ou mais fatores de risco, é preocupante», considera Mafalda Bourbon, sublinhando que «há pessoas muito jovens que já iniciam a vida adulta com fatores de risco».

Os investigadores defendem que os dados recolhidos mostram a necessidade de as autoridades de saúde «desenvolverem estratégias para rastrear a população em geral quanto aos fatores de risco para as doenças cardiovasculares e promovam medidas de estilo de vida adequadas e literacia em saúde».

O estudo, que avaliou uma amostra de 1.688 pessoas através de exame físico, análises clínicas e um questionário, indica ainda que, «não obstante o decréscimo verificado nos últimos anos, as doenças cérebro-cardiovasculares continuam a ser a principal causa de morte em Portugal e a esperança de vida saudável aos 65 anos de idade é inferior à média europeia».

20tm06f
04 de Fevereiro de 2020
2006Pub3f20tm06f

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 31.03.2020

Financiamento do SNS «continua a ser insuficiente», diz TC

 O financiamento do Serviço Nacional de Saúde (SNS) «continua a ser insuficiente, suscitando um esfo...

por Teresa Mendes | 31.03.2020

 «Não há só Covid no Serviço Nacional de Saúde»

 A ministra da Saúde disse esta segunda-feira que, desde início e até meados de março, a procura nas...

por Teresa Mendes | 31.03.2020

Já são mais de 200 os médicos infetados com Covid-19 em Portugal

O secretário de Estado da Saúde adiantou esta segunda-feira que há 853 profissionais de saúde, em Po...

por Teresa Mendes | 30.03.2020

Pedido o reforço dos meios de proteção individual, dos testes e das condiçõ...

Oitenta profissionais de saúde, entre médicos, enfermeiros e administradores hospitalares, pediram e...

por Teresa Mendes | 30.03.2020

Covid-19: Investigadores continuam sem acesso aos dados anonimizados em Por...

O Conselho de Escolas Médicas Portuguesas (CEMP) alerta que, apesar de o primeiro-ministro ter anunc...

por Teresa Mendes | 30.03.2020

 Ensaios clínicos: Infarmed recomenda suspensão de recrutamento em caso de...

Tendo em conta o contexto atual, o Infarmed – Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.