Enfermeiros e secretários clínicos excluídos do combate ao COVID-19

por Teresa Mendes | 06.04.2020

Associação Nacional das USF critica Direção-Geral da Saúde
A Associação Nacional das Unidades de Saúde Familiar (USF-AN) acusa a Direção-Geral da Saúde (DGS) de excluir os enfermeiros e secretários clínicos das equipas de saúde familiar no combate à Covid-19, desvalorizando o seu potencial. 

«A DGS tem insistido em desvalorizar o potencial e trabalho em equipa de saúde familiar, realidade dos cuidados de saúde primários (CSP), uma vez que apenas tem considerado os médicos para tarefas inerentes à vigilância e monitorização da população suspeita ou infetada com Covid-19, deixando assim de envolver os milhares de enfermeiros de família e secretários clínicos que existem nos CSP Este facto pode-se confirmar, por exemplo, na Norma 04/2020 - Abordagem do Doente com Suspeita ou Infeção por SARS-CoV-2», sublinha aquela Associação num comunicado publicado este fim-de-semana no seu site. 

De acordo com a USF-AN, a norma da DGS refere-se a «equipa de saúde», no entanto, ao longo das suas 22 páginas «não fala em ponto algum daquele que poderá ser o papel do enfermeiro de família e do secretário clínico».
«Lamentamos que não seja (re)conhecido o potencial das equipas de proximidade e dos enfermeiros de família, ou seja, aquilo que tem sido construído ao longo destes muitos anos com a reforma dos CSP.

«Não é de todo entendível que num contexto de pandemia sobrecarreguem um grupo profissional e subaproveitem outros altamente qualificados e preparados como são os enfermeiros de família e secretários clínicos», sublinha a Associação Nacional das USF 

Não é de todo entendível que num contexto de pandemia, onde todos os recursos existentes se mostram escassos para tantas e tão importantes tarefas, sobrecarreguem um grupo profissional e subaproveitem outros altamente qualificados e preparados como são os enfermeiros de família e secretários clínicos», lê-se ainda na nota à Imprensa.

A USF-AN pede, por isso, que a DGS corrija a norma «o mais brevemente possível, para que os enfermeiros possam, legalmente, colaborar em todos os registos a realizar no “Trace-COVID”, ferramenta de suporte aos profissionais de saúde dos CSP e às equipas de Saúde Pública e Autoridades de Saúde».
   
20tm15a
06 de Abril de 2020
2015Pub2f20tm15a
    
Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 22.05.2020

Publicadas as recomendações de cada especialidade para a retoma assistencia...

O bastonário da Ordem dos Médicos (OM) solicitou às direções dos colégios de especialidade a elabora...

22.05.2020

Exportações em saúde crescem 8,8% no primeiro trimestre do ano

As exportações em saúde atingiram os 377 milhões de euros no primeiro trimestre de 2020, o que se tr...

22.05.2020

Ordem dos Médicos contra voos com lotação completa a partir de junho

O bastonário da Ordem dos Médicos (OM) está conta a decisão, que diz ser «política», de voltar a ter...

por Teresa Mendes | 22.05.2020

Médicos e doentes alertam para impactos no agravamento da obesidade

Na véspera do Dia Nacional de Luta Contra a Obesidade, que se assinala amanhã, 23 de maio, especiali...

por Teresa Mendes | 21.05.2020

SICAD promove ciclo de videoconferências

No âmbito do ciclo de videoconferências dedicado a temas atuais na área dos comportamentos aditivos...

21.05.2020

Mais de 3200 profissionais de saúde infetados

Mais de 3200 profissionais de saúde já foram infetados com Covid-19, um terço dos quais são enfermei...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.