Não há «qualquer evidência» sobre o efeito protetor da nicotina

por Teresa Mendes | 28.04.2020

Posição da Sociedade Portuguesa de Pneumologia sobre tabaco e Covid-19
 Perante as notícias recentemente divulgadas que apontam um efeito protetor da nicotina contra a Covid-19, a Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) alerta para «o perigo da controvérsia causada pela indústria tabaqueira com a divulgação de informação imprecisa e não fundamentada» e reafirma que «os fumadores podem sofrer condições mais graves da doença».

O tabagismo está associado a várias patologias crónicas, nomeadamente, doença respiratória, cardiovascular, diabetes e cancro, entre outras, e «doentes com estas patologias têm maior risco de doença grave por Covid-19 segundo a Organização Mundial de Saúde e a Direção Geral de Saúde», destaca a SPP numa tomada de posição divulgada esta segunda-feira no seu site

(https://www.sppneumologia.pt/uploads/subcanais_conteudos_ficheiros/tabaco-e-covid19.pdf). Além disso, «o tabagismo tem um efeito nocivo para o sistema imunitário, tornando os fumadores mais vulneráveis às infeções, incluindo possivelmente o novo coronavírus», salienta aquela Sociedade.

Outra questão preocupante para a SPP «é o contacto mão-boca realizado frequentemente e repetidamente pelos fumadores, que constitui uma forma de infeção reconhecida.

Adicionalmente, também a partilha de tabaco e seus produtos está associado a risco de contágio».

A Sociedade Portuguesa de Pneumologia alerta para «o perigo da controvérsia causada pela indústria tabaqueira com a divulgação de informação imprecisa e não fundamentada» e reafirma que «os fumadores podem sofrer condições mais graves da doença»

Apesar dos estudos serem escassos até à data, «já há evidência científica que mostra que os fumadores têm maior risco de progressão para doença grave, maior risco de internamento em Unidade de Cuidados Intensivos com necessidade de ventilação mecânica e maior risco de morte, em comparação com os não fumadores», observa igualmente a SPP, que reafirma que «os fumadores podem sofrer condições mais graves da doença Covid-19» e que «a nicotina é uma substância altamente aditiva que causa dependência nos seus utilizadores não existindo qualquer evidência sobre o seu efeito protetor».

Sobre este tema do impacto do tabagismo na gravidade e mortalidade por Covid-19, a SPP elaborou um documento com recomendações que está disponível para consulta aqui.

20tm18h
2018Pub3f20tm18h
28 de Abril de 2020

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 22.05.2020

Publicadas as recomendações de cada especialidade para a retoma assistencia...

O bastonário da Ordem dos Médicos (OM) solicitou às direções dos colégios de especialidade a elabora...

22.05.2020

Exportações em saúde crescem 8,8% no primeiro trimestre do ano

As exportações em saúde atingiram os 377 milhões de euros no primeiro trimestre de 2020, o que se tr...

22.05.2020

Ordem dos Médicos contra voos com lotação completa a partir de junho

O bastonário da Ordem dos Médicos (OM) está conta a decisão, que diz ser «política», de voltar a ter...

por Teresa Mendes | 21.05.2020

SICAD promove ciclo de videoconferências

No âmbito do ciclo de videoconferências dedicado a temas atuais na área dos comportamentos aditivos...

21.05.2020

Mais de 3200 profissionais de saúde infetados

Mais de 3200 profissionais de saúde já foram infetados com Covid-19, um terço dos quais são enfermei...

21.05.2020

«SNS passou por um dos piores testes de que há memória», diz Marta Temido

A ministra da Saúde, Marta Temido sublinhou esta quarta-feira, numa audição na Comissão Parlamentar...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.