Exames digestivos só com equipas fixas e salas próprias para doentes suspeitos

por Teresa Mendes | 15.05.2020

DGS publica norma para unidades que fazem endoscopias e colonoscopias
Numa norma publicada esta quinta-feira, a Direção-Geral da Saúde (DGS) estabelece que as unidades que fazem endoscopias e colonoscopias devem reorganizar-se em equipas fixas a trabalhar por turnos e caracterizar os exames a realizar como urgentes, prioritários ou programados.

Por outro lado, é aconselhado a que seja limitada a presença nas unidades de técnicas de gastroenterologia a profissionais de saúde e a doentes, sem familiares, para restringir o risco de contaminação.

Segundo a DGS, deve haver «salas dedicadas para a realização de procedimentos endoscópicos e recobro para doentes com suspeita ou confirmação de Covid-19», com pressão negativa, e os equipamentos e consumíveis necessários devem ficar adstritos a essa sala de forma permanente.

Numa norma publicada esta quinta-feira, a Direção-Geral da Saúde (DGS) estabelece que as unidades que fazem endoscopias e colonoscopias devem reorganizar-se em equipas fixas a trabalhar por turnos e caracterizar os exames a realizar como urgentes, prioritários ou programados

Todos os doentes, quer os de internamento quer os de ambulatório, «devem ser alvo de triagem prévia relativamente ao risco de Covid-19 com recurso a consulta telefónica na véspera e no dia do exame, antes da admissão no serviço.

Os doentes com sintomas devem ser testados e os exames realizados apenas em situação de “urgência imperiosa”», lê-se ainda no documento.

«No atual contexto epidemiológico em Portugal com transmissão comunitária sustentada, todos os doentes são considerados de alto risco», reforça a DGS.

A norma indica igualmente que os serviços de saúde devem assegurar o treino contínuo dos profissionais de saúde relativamente à utilização de equipamentos de proteção individual, bem como os procedimentos a observar em situações de exposição acidental a produtos biológicos potencialmente infetados com SARS-CoV-2.

Todas as informações na norma disponível aqui.
    
20tm20t
2020Pub6f20tm20t
15 de Maio de 2020

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 26.05.2020

Covid-19: Hospitais de campanha ficam isentos do pagamento da taxa à ERS

O Governo já decidiu: Os hospitais de campanha, criados no âmbito da resposta à epidemia por SARS-Co...

por Teresa Mendes | 26.05.2020

SPEDM defende inclusão da análise à função tiroideia no rastreio da mulher...

O Grupo de Estudos da Tiroide (GET) da Sociedade Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolism...

por Teresa Mendes | 26.05.2020

Fundação Portuguesa de Cardiologia apela à demonstração de afetos virtuais 

 Campanha inserida no mês dedicado à sensibilização para as doenças do coração<br /> Fundação Portu...

25.05.2020

Governo avalia incentivos financeiros para recuperar atos médicos cancelado...

A ministra da Saúde adiantou este sábado que o Governo está a estudar incentivos financeiros que per...

por Teresa Mendes | 25.05.2020

Insa promove estudo sobre saúde mental e bem-estar em tempos de pandemia 

 O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (Insa) está a promover um estudo para avaliar o...

por Teresa Mendes | 25.05.2020

Quase 20% dos doentes com Covid-19 recuperados permanecem internados 

 Quase 20% dos doentes com Covid-19 recuperados permanecem internados por falta de resposta social....

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.