Bastonário da Ordem dos Médicos defende mais apoio para as farmácias 

por Teresa Mendes | 20.05.2020

«Todos por quem Cuida» vai» entregar 150 mil máscaras em farmácias
O bastonário da Ordem dos Médicos desafiou esta terça-feira o Estado a olhar de «forma diferente» para as farmácias, dando-lhes mais apoio para evitar que muitas fechem as suas portas, algo que, na opinião de Miguel Guimarães, seria «dramático» para as populações e aumentaria «as desigualdades sociais em saúde».

«Temos, de facto, de dar mais apoio às farmácias que fazem um trabalho muito importante e praticamente não tem tido apoio nenhum do Estado.

E é importante que o Estado olhe para as farmácias de forma diferente», defendeu Miguel Guimarães no final de uma visita a uma farmácia de Benfica, em Lisboa, onde juntamente com a bastonária da Ordem dos Farmacêuticos (OF), fez uma entrega simbólica de máscaras cirúrgicas no âmbito do projeto «Todos por quem Cuida».

Esta conta solidária vai entregar cerca de 150 mil máscaras cirúrgicas em mais de mil farmácias e laboratórios de análises clínicas espalhados pelo país.

Para Miguel Guimarães, este é «o momento adequado» para deixar este desafio a «quem tem responsabilidades políticas, nomeadamente na Assembleia da República e no Governo», salientando o «papel extraordinariamente importante» que as farmácias têm no Serviço Nacional de Saúde.

«Temos, de facto, de dar mais apoio às farmácias que fazem um trabalho muito importante e praticamente não tem tido apoio nenhum do Estado. E é importante que o Estado olhe para as farmácias de forma diferente», defendeu Miguel Guimarães no final de uma visita a uma farmácia de Benfica, em Lisboa

Também presente na visita à farmácia, o presidente da Associação Nacional de Farmácias (ANF), Paulo Duarte, disse à agência Lusa que há neste momento entre 900 a 1000 farmácias com «quebras significativas na sua atividade» em resultado da pandemia Covid-19.

A bastonária da OF realçou igualmente o papel das farmácias junto da população, nomeadamente em tempos de pandemia. «Tivemos um momento inicial de grande ansiedade por parte das pessoas, de grande necessidade de procura de medicação logo nas primeiras semanas (…) e a farmácia foi esse espaço, mais uma vez, procurado incessantemente pelas pessoas», disse Ana Paula Martins.

20tm21j
20 de Maio de 2020
2021Pub4f20tm21j

Publicado previamente em  www.univadis.pt

E AINDA

25.05.2020

Governo avalia incentivos financeiros para recuperar atos médicos cancelado...

A ministra da Saúde adiantou este sábado que o Governo está a estudar incentivos financeiros que per...

por Teresa Mendes | 25.05.2020

Insa promove estudo sobre saúde mental e bem-estar em tempos de pandemia 

 O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (Insa) está a promover um estudo para avaliar o...

por Teresa Mendes | 25.05.2020

Quase 20% dos doentes com Covid-19 recuperados permanecem internados 

 Quase 20% dos doentes com Covid-19 recuperados permanecem internados por falta de resposta social....

22.05.2020

Exportações em saúde crescem 8,8% no primeiro trimestre do ano

As exportações em saúde atingiram os 377 milhões de euros no primeiro trimestre de 2020, o que se tr...

22.05.2020

Ordem dos Médicos contra voos com lotação completa a partir de junho

O bastonário da Ordem dos Médicos (OM) está conta a decisão, que diz ser «política», de voltar a ter...

por Teresa Mendes | 22.05.2020

Médicos e doentes alertam para impactos no agravamento da obesidade

Na véspera do Dia Nacional de Luta Contra a Obesidade, que se assinala amanhã, 23 de maio, especiali...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.