Alexandra Machado| 30.11.2015

Doar para investigação

As células estaminais constituem uma das mais interessantes áreas de estudo da biologia humana. 

Os resultados da investigação nesta área têm-se mostrado promissores no tratamento de doenças como a diabetes, esclerose lateral amiotrófica, doença de Parkinson, entre outras. 

Para além disso, a investigação com células estaminais tem permitido avançar no conhecimento da renovação celular no organismo adulto, e na utilidade das células estaminais para o screening de fármacos ou para o desenvolvimento de modelos para o estudo de doenças. 

Tendo como base o objetivo de promover a investigação nesta área, a Crioestaminal criou o Primeiro Banco Mundial de Amostras de Células Estaminais do Sangue e Tecido do Cordão Umbilical para investigação, com doações feitas pelos portugueses. 

A investigação com sangue e tecido do cordão umbilical permite aumentar o conhecimento sobre as células estaminais destas fontes. 

Além disso, as células estaminais obtidas a partir destas fontes têm mostrado poder ser úteis para o desenvolvimento de novos produtos de terapia celular, podendo proporcionar novos tratamentos para diversas doenças atualmente sem cura. 

Hoje, perto de um em dez pais optam por guardar as células estaminais hematopoiéticas e mesenquimais do cordão umbilical em bancos de criopreservação para poder tratar, em caso de necessidade, mais de 80 doenças. 

Os nove em dez casais que não guardam o cordão constituem um enorme potencial para impulsionar a investigação. Estas amostras que, em circunstâncias normais, seriam destruídas podem ser usadas em projetos de investigação nacionais e internacionais, contribuindo assim para o desenvolvimento de novas terapias celulares.

A Crioestaminal, pioneira na área da criopreservação de células estaminais, assumiu desde logo a missão de contribuir para a evol

Alexandra Machado

Directora Médica da Crioestaminal

ução da utilização terapêutica de células estaminais, quer através do aumento das oportunidades de tratamento com células estaminais quer promovendo, direta e indiretamente, o desenvolvimento de projetos de investigação nesta área.

Desde 2005, com a criação do Departamento de Investigação e Desenvolvimento (I&D), a Crioestaminal tem desenvolvido projetos de I&D com o objetivo de aumentar o conhecimento e as aplicações terapêuticas das células que guarda.

Ao longo do tempo tem implementado vários projetos de investigação com células estaminais do sangue e do tecido do cordão umbilical, utilizando para esse fim amostras que os pais, que tendo decidido não as guardar, optaram por doar.

Recentemente, a Crioestaminal criou o primeiro Banco de Doação para Investigação a nível mundial, tendo disponibilizado -- aos pais que decidem não guardar as células estaminais do cordão umbilical dos seus filhos -  a opção de doação para investigação. Este banco de investigação permite que investigadores desta área possam ter acesso às células estaminais desta fonte, essenciais ao seu trabalho e que, de outro modo, seriam desperdiçadas.

A doação de sangue e tecido do cordão umbilical para I&D permite:

- aumentar o conhecimento sobre as células estaminais destas fontes,

- desenvolver novos tratamentos à base de células estaminais e

- melhorar e monitorizar os procedimentos laboratoriais.

Crioestaminal e I&D

Numa primeira fase, as amostras doadas para o Banco de Investigação destinam se a ser usadas em projetos da Crioestaminal. No futuro, a Crioestaminal pretende dar acesso a estas amostras a investigadores a nível mundial. Entre outras expectativas, a investigação com células estaminais proporciona esperança para o desenvolvimento de terapêuticas mais seguras e eficazes para o futuro.

Recentemente, a Crioestaminal criou o primeiro Banco de Doação para Investigação a nível mundial 

A Crioestaminal tem contribuído fortemente para I&D desenvolvendo projetos em parceria com entidades do sistema científico e tecnológico português


A Crioestaminal tem contribuído fortemente para I&D desenvolvendo projetos em parceria com entidades do sistema científico e tecnológico português. Nos últimos anos estes projetos inovadores deram origem a várias patentes e no futuro próximo a Crioestaminal pretende aplicar em ensaios clínicos as metodologias patenteadas, permitindo a aplicação destas terapêuticas inovadoras em doentes com opções terapêuticas limitadas.


-Diretora Médica da Crioestaminal

15JMA49Z
30 de Novembro de 2015

1549Ant2f15JMA49Z 


 
A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.