Pedro Mesquita| 27.10.2016

 O inimigo número um dos dentes 

Opinião de Pedro Mesquita

A cárie dentária é, de todas as doenças que afetam o ser humano, a de maior prevalência. 

Pode surgir logo nos primeiros anos de vida e, em alguns países, representa um significativo problema de saúde pública. 
No nosso país, apesar de se terem vindo a observar melhorias nos últimos anos, ainda constitui um problema importante em determinadas zonas do País, em determinados grupos etários e em determinados grupos da população. 

Afeta, de uma forma geral, todas as populações e, se não for tratada, provoca a destruição dos tecidos duros do dente (esmalte, dentina e cemento), sendo uma das principais razões da perda dentária. 

Etiologia multifatorial

É uma doença de etiologia multifatorial, causada por variados fatores, fatores esses que podem ser subdivididos em fatores primários ou essenciais, que são os fatores sem os quais a doença não se inicia nem se desenvolve, e em fatores secundários ou modificadores, que são os fatores que influenciam e condicionam a evolução das lesões de cárie.

No nosso país ainda constitui um problema importante em determinadas zonas do País, em determinados grupos etários e em determinados grupos da população 

Os fatores primários são o próprio dente, os microrganismos (bactérias) e o ambiente (entre outros a presença de nutrientes que podem ser utilizados pelos microrganismos e cuja decomposição leva à produção dos ácidos que destroem os dentes). 
Os fatores secundários são a higiene oral, a exposição ao flúor, o estado de saúde geral, os fatores socioeconómicos, a predisposição genética e os cu

Pedro Mesquita

Presidente da Sociedade Portuguesa de Estomatologia e Medicina Dentária (SPEMD)

idados de saúde oral. 

Prevenção

A prevenção é a forma mais eficaz de abordar esta doença.

Deve começar nas idades mais precoces com a instrução de hábitos corretos de higiene oral e de dieta alimentar não cariogénica, isto é, não favorável ao desenvolvimento da lesão.

Assim, devemos:

- Lavar os dentes pelo menos 2 vezes ao dia com um dentífrico fluoretado e uma escova de dureza média, durante 1 a 2 minutos. Uma das escovagens deve ser, obrigatoriamente, à noite, antes de deitar.

- A escovagem deve ser feita em todas as superfícies dentárias com movimentos circulares ou verticais e no dorso da língua (parte da língua voltada para a cavidade oral).

- Utilizar, diariamente, o fio dentário ou um escovilhão interdentário.

- Ter uma alimentação variada e equilibrada, privilegiando o consumo de frutas e legumes e evitando o consumo de alimentos e bebidas açucaradas sobretudo entre as refeições. Deve consumir-se, preferencialmente, água.

- Visitar regularmente, uma a duas vezes por ano, o médico dentista/médico estomatologista. 

- Avaliar com o médico dentista/médico estomatologista a necessidade de utilização de suplementos de flúor e/ou a aplicação de selantes de fissuras para a prevenção da cárie.
O flúor é um elemento que tem a capacidade de inibir a formação da cárie devendo, no entanto, ser usado com moderação devido à sua toxicidade.

O flúor é um elemento que tem a capacidade de inibir a formação da cárie devendo, no entanto, ser usado com moderação devido à sua toxicidade.

Entre os dias 4 e 6 de novembro, as estações ferroviárias de Oriente (Lisboa) e Campanhã (Porto) recebem a Check-Up, Dia Nacional do Rastreio, onde a SPEMD marcará presença. 

Esta iniciativa vai contar com a participação de várias sociedades médicas e associações de doentes de todo o País e permitir, num único local, a realização de rastreios a várias especialidades médicas.
---------------------

NR: Destaques da responsabilidade da Redacção
-----------------------------------

16jma43y
27 de Outubro de 2016
1643Pub5f16tm43y
A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.