Alexandra Marinho | 05.01.2017

Com frio e chuva, recomenda-se gorro, luvas, cachecol e… proteção dos ouvidos!

Opinião de Alexandra Marinho

Não existe uma altura indicada e única para que haja um cuidado específico no que respeita à saúde. 

Seja verão ou inverno, é importante não descurar dos cuidados básicos, mantendo, assim, um corpo saudável e uma mente sã. No entanto, existem de facto determinadas alturas que é necessário alertar para determinados riscos de acordo com a altura do ano. 

Na verdade, o inverno é a estação do ano em que os dias frios e chuvosos imperam, sendo consequentemente a altura do ano mais propícia à existência de doenças como as otites médias agudas. 

De acordo com o último estudo sobre a audição dos portugueses, realizado pela GAES – Centros Auditivos, as otites constituem-se como um dos problemas que mais afeta a população portuguesa, sendo que 60% dos casos manifestam-se nos principais meses de inverno. 

É importante alertar a população para uma maior consciencialização de que infeções auditivas, como a otite média que é a mais frequente nesta época, podem levar à perda auditiva. 

Este problema é caracterizado por uma inflamação na orelha média, afetando qualquer indivíduo, independentemente da idade.

Estima-se que 9% a 18% das crianças poderão vir a ter três ou mais infeções destas no primeiro ano de vida. 

Na maioria dos casos, existem tratamentos rápidos que poderão ser eficazes à resolução da problemática.

Alexandra Marinho  alerta para a importância dos cuidados redobrados a ter na época de maior frio, prevenindo doenças que tendem a aparecer nesta época do ano, nomeadamente as otites médias agudas

No entanto, há situações em que a inflamação é tão grave que pode levar a complicações como paralisia facial ou meni

Alexandra Marinho

Alexandra Marinho Audiologista

ngite.  Por isso, recomenda-se a adoção de algumas medidas preventivas tais como: 

1.Evitar o uso de cotonetes, uma vez que a cera acumulada junto a membrana timpânica é empurrada por estes utensílios.

2.Depois do banho, secar convenientemente os ouvidos, com o auxílio da toalha, tendo especial atenção se tiver que sair de casa. Gorros e “tapa orelhas” são os melhores aliados do vento e das mudanças de temperatura.

3.Se tiver inflamação, aplique uma botija de água quente na parte externa do ouvido, visto que é uma forma de a atenuar. 

4.Caso esteja com bronquite ou faringite, o melhor é estar atento aos sintomas e procurar o tratamento adequado para que a infeção não passe para os ouvidos.

5.Se praticar desportos aquáticos, está mais suscetível a infeções. Deve, por isso, usar tampões auditivos e touca. 

6.Aconselha-se uma alimentação equilibrada, contemplando vitaminas como a B-12, existente em alimentos como o leite e derivados deste. 

7.Sempre que tiver oportunidade, faça um rastreio auditivo. 
------------------

  *Audiologista da GAES – Centros Auditivos de Portugal

17JMA02C
09 de Janeiro de 2017
1702Pub2f17JMA02C

 
A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.