Pedro Esteves| 11.09.2017

Síndrome de Charles Bonnet 

Opinião de Pedro Esteves 

A Síndrome de Charles Bonnet carateriza-se pela presença de alucinações visuais simples (linhas, flashes de luz) ou complexas (pessoas, animais) em pessoas com défice visual grave ou cegas.

Estima-se que afete entre 10 a 40 por cento dos adultos que passam por perdas significativas de visão.  A valorização dos sintomas junto do médico é essencial para a redução do transtorno emocional causado por esta doença.

Na maior parte das vezes, os doentes relatam alucinações silenciosas e coloridas que envolvem rostos, desenhos e objetos.
As pessoas que o doente vê, em geral, são mudas ou não emitem som.
Estas  alucinações podem durar minutos ou até horas.  

O doente geralmente tem consciência que as alucinações não são reais.
A causa da doença está relacionada com a ausência de informação visual que chega ao cérebro, o que o leva a criar as suas próprias imagens.  

Esta síndrome não pode ser diagnosticada com recurso a exames.
A sua deteção depende do reconhecimento dos sintomas junto do médico.

O tratamento deve contemplar medicação e acompanhamento psicológico. 

A síndrome de Charles Bonnet é um dos temas em discussão no 8º Encontro Internacional Psicogeriátrico que vai decorrer de 2 a 4 de novembro, no Hotel Dom Pedro Golf, em Vilamoura.
 
A Associação Cérebro & Mente tem como principal objetivo promover a saúde mental na população.

Para mais informações consulte: http://cerebroemente.pt/


​ *Psiquiatra, membro da direção da Associação Cérebro & Mente


17tm39B
11 de Setembro de 2017
1739Pub2f17tm39B

Pedro Esteves

Médico, psiquiatra, membro da direção da Associação Cérebro & Mente

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.